quinta-feira, abril 06, 2006

Já que te vais...

"Já que te vais
E me deixas só aqui
Tu não voltas nunca mais
Que eu já chorei demais por ti

Já que te vais
O que mais posso dizer
Vou olhar por mim
Pensar em mim
Tentar esquecer

Já que te vais
Guarda em ti só o melhor
Só te peço é que jamais
Jamais me fales deste amor

Já que te vais
Já que agora te perdi
Quando fores, vai
Sem para trás
Olhares p’ra mim

Já que te vais
Que vida te dê
Tudo o que eu não consegui
E que encontres de uma vez, o amor
Que não tiveste em mim

Se tens que acabar
É agora ou nunca mais
Pra eu não ficar
Só a chorar sempre que vais

Que vida te dê
O que em mim dizes não ter
Sabe Deus o que eu tentei
Mas não te posso mais prender

Posso até morrer
Por ficar de vez sem ti
Mas que vou fazer
Se tem de ser que seja o fim
Já que te vais

Já que te vais
Vai de pressa por favor
Quanto mais o tempo passa
Mais profunda é minha dor"

sábado, fevereiro 18, 2006

A Noite



A Noite

Ela sorriu e ele foi atrás
Ela despiu, ela o satisfaz

Passa-se a noite
Passa-se o tempo devagar

Já é dia
Já é tempo de voltar

Aqui ao Luar
Ao pé do mar
Só o sonho fica
Só ele pode ficar

Aqui ao Luar
Ao pé de ti ao pé do mar
Só o sonho fica
Só ele pode ficar

quarta-feira, dezembro 28, 2005

Ai se sêsse

Se um dia nois se gostasse
Se um dia nois se queresse
Se nois dois se empareasse
Se juntim nois dois vivesse
Se juntim nois dois morasse
Se juntim nois dois drumisse
Se juntim nois dois morresse
Se pro céu nois assubisse
Mas porém acontecesse de
São Pedro não abrisse a porta do céu e fosse
te dizer qualquer tolice
E se eu arriminasse
E tu cum eu insistisse pra que eu me arresolvesse
E a minha faca puxasse
E o bucho do céu furasse
Tavés que nois dois ficasse
Tavés que nois dois caisse
E o céu furado arriasse e as virgi toda fugisse

Zé da Luz

segunda-feira, outubro 31, 2005

Is there anybody out there

Stop!
I wanna go home
Take off this uniform
And leave the show.
But I'm waiting in this cell
Because I have to know.
Have I been guilty all this time?

terça-feira, outubro 25, 2005

Compreensão

Essa vai para ela, a fã de Inuyasha!
Eu adoro essa musica, espero q vc goste tb!
Te amo d+!

Compreensão

Uma nova luz vai no céu brilhar
Na terra se refletir
Com amor a nos guiar
A amizade a nos unir
Qualquer inimigo vamos enfrentar.
No futuro à nossa frente

Não há como fugir
Das lutas e dos desafios
Vamos ter que abrir um novo horizonte
Um novo céu

Não hà como perder
Se você acreditar
Que nada nem ninguém
É mais forte que você
Se você sonhar
Vai conseguir
A realidade transformar

Não há como perder
Se você acreditar
Que nada nesse mundo
É mais forte que o amor
Uma nova estrada se abrirá
Sorrindo amanhã
Um lindo sol brilhará
Uma nova estrada se abrirá
Sorrindo amanhã
Um lindo sol brilhará

segunda-feira, outubro 17, 2005

Just shovel some more dirt on my grave!

Final de semana perfeito, um começo de semana maravilhoso!
Como a vida seria bela, se tudo isso nao pasasse de um sonho...


Black Label Society - Dirt on the grave

Ashes fly ashes burn
The sun is black ain't no return
Ashes fly ashes burn
Over and over ain't no need to learn

It's all dust on dust

It's all you and me
Out done completely out played
Just shovel some more dirt on the grave

The choices you make and the choices that are

When hell is so close and heavens so far
Ashes fly ashes burn
Over and over ain't no need to learn

It's all dust on dust

It's all you and me
Out done completely out played
Just shovel some more dirt on the grave

sexta-feira, outubro 14, 2005

Boêmios

Dama negra

I
Vamos, meu anjo, fugindo,

A todos sempre sorrindo,
Bem longe nos ocultar...
Como boêmios errantes,
Alegres e delirantes
Por toda a parte a vagar.
II
Há tanto canto na terra

Que uma vida inteira encerra!...
E que vida!... Um céu de amor!
Seremos dois passarinhos,
Faremos os nossos ninhos
Lá onde ninguém mais for.
III
Uma casinha bonita,

Lá na mata que se agita
Do vento ao mole soprar,
Com as folhas secas da selva
Com o lençol verde da relva
Oh! quanto havemos de amar!...
IV
De manhã, inda bem cedo,

Hás de acordar, anjo ledo,
Junto do meu coração...
Ao canto alegre das aves
As nossas canções suaves,
Quais preces se ajuntarão.
V
Passearemos à sesta...

Sonharemos na floresta,
Sempre felizes, meu Deus!...
Nalma lânguida esteira,
Quanta cantiga faceira
Ouvirei dos lábios teus!...
VI
E à noite, no mesmo leito

Reclinada no meu peito,
Hei de ouvir os cantos teus.
A cada estrofe bonita
No teu seio, que palpita,
Terás cem beijos, por Deus!
VII
Farei poesias ou versos

Aos teus olhinhos perversas
Aos teus "anhos, meu bem!
Tu cantarás, é Manola,
Aquela moda espanhola
Que tantos requebros tem!
VIII
Depois, que lindas viagens!...

Veremos novas paisagens,
No sul, no norte, onde for...
Voando sempre, querida,
Co'a primavera da vida,
Co'a primavera do amor.
IX

Vamos, meu anjo, fugindo,
A todos sempre sorrindo
Bem longe nos ocultar.
Como boêmios errantes
Que repetem delirantes:
"P'ra ser feliz basta amar"!